Páginas

quinta-feira, 20 de março de 2008

Voltar às origens

Read this post in English
Eu estava hoje navegando, sem compromisso, entre vários blogs por onde nunca havia passado. Como um viajante perdido em lugares ermos eu me vi prestando excessiva atenção aos comentários deixados em cada um. E percebi também que, embora seja de bom tom para todo blogueiro que se preze dizer que "comentários e visitas não são o mais importante" estou descontente com os meus, comentários e visitas. Ora, tenho que ser honesta com vocês (e comigo, claro) quando digo que me importa sim. Afinal, estou escrevendo para vocês. Não, isso não é um diário em que coloco os meus pensamentos mais íntimos e que ninguém (leia-se todo mundo) vai ler. Eu escrevo ciente de que as pessoas virão aqui, porque gostam ou porque caíram de paraquedas, e vão ler o que aqui está escrito porque é assim que funciona. Assim, espero sempre saber que aquilo que estou escrevendo faz alguma diferença para quem lê. E, de repente, não mais que de repente, percebo que pode não fazer diferença nenhuma.

Pensei também que este blog nasceu com a idéia de colocar aqui todas as minhas loucuras e acabei deixando isso de lado. Talvez eu deva voltar às origens e começar a simplesmente botar pra fora aquilo que fervilha dentro de mim nos momentos mais insanos.

Então vem a análise. O que está errado? Ou ainda, o que faz com que as pessoas tenham vontade de comentar, como se fosse uma roda de amigos conversando sobre qualquer assunto? O que é que faz com que você leitor tenha a vontade de falar o que pensa a respeito do assunto que eu abordei?

Bem, se eu estivesse numa roda de amigos falando sobre a Batalha de Jenipapo (post anterior), eles diriam que estou louca, divagando sobre assuntos sem o menor interesse. Pelo menos alguns amigos. Por outro lado, se eu falasse sobre a difícil tarefa diária de tomar decisões, teria algumas opiniões ou pelo menos um tímido "também acho" ou "não sei..." mas, com certeza, teria um retorno.

Sei lá, acho que posso estar tentando agradar gregos, troianos e mais algumas civilizações que nem constam nos livros mas, só posso ter certeza de uma coisa neste momento: é chato isso! Muito chato falar com as paredes... sem resposta.
Me perdoem pelo "momento deprê". Faz parte, oras!

6 comentários:

David disse...

Oi. Parede 1 a seu dispor :)

Cintia disse...

É por essas e outras que adoro esse cara!
Obrigada, David!

David disse...

A gente escreve em sua shoutbox a toa né? depois fica de bico né? ninguem me ama ninguem me quer né?

tobias disse...

Tia, desculpe-me. Eu leio mas nao comento!!! Mas eu gosto um monte do seu blog ...

tobias disse...

Ummonte de pessoas faz isso, eu acho ...

Cintia disse...

Aaaaiiiii, "dorei"!!!!

Esses recados estão especiais demais da conta!

Infelizmente tô sem nete esta semana e tenho que ficar pedindo licença pros parentes. Mas semana que vem tô de volta!