Páginas

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Duas Senhorinhas Inglesas - capítulo 1

Era uma vez, duas senhorinhas inglesas. Gostavam muito de chá, aquele "das cinco" que os ingleses tanto prezam. Tinham muitas coisas em comum mas, muitas outras bastante incomuns. Porém, quando o destino permitiu que se conhecessem, logo perceberam que teriam que tomar um chá, juntas, e falar sobre amenidades e futilidades (e talvez trocar confidências), como manda a regra de ouro do "chá das cinco das senhorinhas inglesas".

Apesar das coisas em comum, todas as outras eram muito fortes. Uma delas era solitária, daquelas que a gente vê em filmes, cheia de gatos pela casa. Um carrilhão lembrava-lhe de hora em hora que estava só. Tinha a sensação de que o mundo lá fora era muito maior do que imaginava, do que tinha idéia mas, o mundo estava lá fora, por detrás da janela com cortina de renda, atrás dos vidros jateados e da maçaneta dourada que brilhava a cada entardecer. E ela estava ali, com seus gatos, seu carrilhão, sua xícara de chá e sua correspondência diária, que não passava de uma ou duas cartas.

A outra senhorinha levava uma vida muito diferente da primeira. Tinha muitos amigos e recebia muitas cartas diariamente. Seu chá nunca era às cinco em ponto. Negava-se a obedecer regras e assim, um minuto era um minuto, a mais ou a menos, mas nunca às cinco em ponto. Tinha um belo jardim que todos admiravam e era muito alegre, embora excêntrica às vezes. Tinha gatos também. E hamsters. Era uma batalha diária mantê-los separados. Gostava de corresponder-se com a outra senhorinha (que era um pouco mais velha que ela) e estavam sempre a combinar um chá que nunca tomavam... talvez o problema fosse o horário (em ponto ou não em ponto) mas o chá das duas senhorinhas só ficava nas cartas.

E assim, duas senhorinhas inglesas que gostavam de tomar chá (lá pelas cinco da tarde), falar de amenidades e futilidades (e talvez trocar confidências) levavam suas vidas, cada qual com suas manias, gatos e hamsters, carrilhões e jardins, sem saber se um dia iriam ter um contato além da correspondência diária.

Continua (to be continued)

4 comentários:

Thiago disse...

Ééé tiaa, não é só pra textos filosóficos e poéticos q vc tem talento =D

Eu gostei, me lembrou dos livros do Sherlock Holmes q eu lia! =]

E a quantidade de detalhes é a msma da JK Rowling! =D

Pode ter certz q vou passar aki rpa ler o resto!

Bjãoo

dän disse...

eita.. para começar o dia bem né!
ler algo assim logo cedo é um presente.

dän disse...

uepa, uepa.. precisei ler seu comentário para entender MESMO o seu post.. hahahaha.

dän disse...
Este comentário foi removido pelo autor.