Páginas

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Falando sozinha

Read this post in English
Odeio falar sozinha! Sabe quando você começa a falar e pode dar quantas pausas tiver vontade que ninguém vai se importar e você nunca vai correr o risco de ser interrompida? Pois é, isso é realmente frustrante. Quando você está falando e está sendo ouvida, de alguma forma você percebe que aquelas palavras não estão se perdendo no espaço e que você está, bem ou mal, falando com alguém. Então, acontece que você começa a falar e de vez em quando dá algumas pausas em momentos estratégicos, crente que é o momento certo para que alguém fale alguma coisa, seja que sim, seja que não, seja que não está nem aí, mas diga algo. Mas nada acontece e você percebe que está ali gastando saliva à toa, sem a menor correspondência, sem a menor consequência, sem nenhum efeito. É apenas uma ação, sem reação. É apenas você, falando e falando como uma pessoa solitária que não tem com quem falar e já passou deste patamar dos pseuno-normais para aquele em que todo mundo pode falar o que quiser em qualquer momento sem sem ouvido e tampouco julgado porque lá, ninguém te ouve mesmo!

2 comentários:

Marina disse...

Você sabe que eu falo sozinha toda hora... mas isso, pra mim, nunca foi problema :).
Veja pelo lado bom. Ninguém vai discordar nem criticar.
É você falando com alguém que tem exatamente as mesmas idéias: você mesma :).
é um momento de desabafo sem análise psicológica, de loucura sem julgamento; é bom se recolher ao nosso próprio mundinho às vezes, Mãe.

Cintia disse...

Minha menina linda, é verdade! Eu estava meio revoltada quando escrevi mas a verdade é que a solidão é boa quando é por opção.