Páginas

segunda-feira, 9 de julho de 2007

O que é Cafona?

Read this post in English
ca.fo.na
  • adj. m. e f. Diz-se da pessoa de mau gosto, principalmente no trajar e nas coisas da vida cotidiana; brega.
  • S. m. e f. Pessoa cafona; brega.
  • do italiano cafone, indivíduo grosseiro, com aparência ou pretensão de sofisticação ou riqueza.
  • Telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de março a outubro de 1971 às 22 horas. Escrita por Bráulio Pedroso e dirigida por Walter Campos. Gilberto Athayde (Francisco Cuoco), um viúvo simples e rude faz fortuna com uma vendinha de subúrbio, que se transforma em cadeia de supermercados. Apesar de continuar sendo um homem simples, a alta sociedade disputa sua amizade, por causa do dinheiro. Unindo os dois mundos está a secretária Shirley Sexy (Marília Pêra), eternamente apaixonada pelo patrão, que chama de "Gigi".
  • "O que é cafona é fashion!!!" segundo Glória Kallil.
  • "o que não deve ser dito – o que é cafona, ‘fora de moda’, ‘constrangedor’ dizer." segundo Ferreira.
  • uncool (lo trash, lo bizarro, lo kitsch, lo barato pretencioso, lo caro venido a menos, lo freak, lo mal diseñado, lo surreal, lo hiperreal, lo incoherente, lo subprofesional, lo subcientífico y lo subdesarrollado), segundo o pessoal do TheUnCoolHunter. (não usaram aqui a palavra "cafona" mas... dá tudo na mesma, não?

Ufa! Ainda tem muito mais mas, já deu , né?
Seguinte, estava eu aqui, pensando com meus botões, e lembrei-me de uma amiga um dia desses dizendo "que cafona, ai... eu tenho vergonha disso" em relação a uma mensagem que recebeu no celular. Era uma mensagem do namorado e descrevia com pormenores o que ele pretendia fazer com ela quando se encontrassem. Taí, é esse o ponto que eu quero abordar hoje: a vergonha de presenciar, ouvir, ver, assistir, ler ou fazer algo cafona, ou seja, algo que não é de bom gosto. A palavra "cafona" acabou tomando um significado mais amplo, sendo usada em expressões que não envolvem moda mas alguma coisa que não é cool (ah... tinha que ter um termo americanizado), ou que não se enquadra dentro dos padrões modernos. Surge então a VERGONHA DO CAFONA!

Cito aqui uma situação e convido-os a me contar se já aconteceu a vocês algo parecido:

Cena 1: Você está assistindo a um programa de calouros e aparece uma "indivídua" vestida de oncinha. O salto altíssimo, um chicotinho na mão, uma maquiagem ousada e um cabelo muito armado, adornado com uma tiara de orelhas de oncinha, que quase não aparece no meio da tal juba. Começa uma música conhecida, "Freak Le Boom Boom", da Gretchen(aquela da bunda), e a moça começa a dublar (?) e rebolar. Não é gostosona e nem sensual, porém. Passa a fazer trejeitos que lembram um rabo de lagartixa que foi cortado e ainda não percebeu que morreu. Enquanto isso, a câmera passa pelos jurados, divididos entre os que estão completamente passados e os que não conseguem se manter em cima da cadeira de tanto rir. E você, na sua casa, pensando em onde esconder de vergonha de estar ali, compartilhando com seu par daquele espetáculo bizarro. Já viu esse filme?

Então vamos aprofundar um pouquinho mais.. Já que estamos na chuva, vamos molhar um pouco mais. Já sentiu esse tipo de vergonha ao ler algo que "pretendia" ser uma obra-prima mas só conseguiu ser uma coisa completamente inadequada, sem o menor bom gosto?

Cena 2: Você está numa balada e avista um alguém muito atraente vindo em sua direção. Você faz um "doce" básico, claro. O alguém então chega pra você e diz: "- Oi, anjo! Você se machucou quando caiu do céu? Porque eu sou médico, poderíamos brincar de médico!" Aaaahhhhh, ninguém merece ouvir isso! Argh! Então você percebe que tem umas quatro pessoas ali, ouvindo aquilo!!!! E olhando pra sua cara pra ver a resposta!!! Aaaaaaiiiiii, nem sei se é vergonha isso... tem algum termo mais forte? Como é que alguém pode achar que isso pode funcionar? Nenhuma roupa, por mais brega que seja, pode ser pior do que isso. ISSO É MUITO CAFONA!!!

Bom, num próximo post quero falar sobre o outro lado da Cafonice, o lado fashion..

5 comentários:

Flávia Brito disse...

É, querida Cíntia... cafona mesmo são aquelas pessoas que se robotizam tentando parecer o que não são. Nada mais elegante do que manter sua individualidade e seu estilo em qualquer situação. Afinal, moda passa... mas o que a gente planta, fica - o que nem sempre acontece com o que a gente usa...

Beijos!

Arne Balbinotti disse...

Nem me fale em cantadas podres, eu já ouvi minhas amigas ganhando cada uma...
Graças a Deus que gay não fala essas cafonisses, hetero sempre tem uma cantada brega na manga, por que será?
Agora eu quero ver o lado cafona do fashion heim.
Nossa, já ia esquecendo...
Tem alguem lá na Butique querendo falar com você, parece que é uma conversa, digamos assim, cafonéeeeeeeerima...
Beijos minha amiga brejeira.

Edson Marques disse...

Gostei!


quando puder, fale também sobre o kitsch...




Abraços, flores, estrelas...

Arne Balbinotti disse...

Linda vai la na Butique, chegou uma moda cafona bem aquecida lá.
Beijos.

AP disse...

Ah, cafona? Como vou falar disso? Sei lá, sou meio perua, ahaha! Sempre de salto alto e máscara nos olhos... Perua, porém básica... Cantada cafona, a mulher que nunca ouviu a sua que atire a primeira pedra, né? Mas Cíntia, acho que a cafonice depende do momento, da platéia, do alvo... difícil, é um conceito muito pessoal. O cafona em questão pode achar que brega é quem é diferente dele...

Linda, não teve Princesa Ameba?

Beijos!