Páginas

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Índio


Aquela terra era sua
E tudo lá era seu.
Mas certo dia, resolveu
Numa canoa partir.
Queria ver as coisas de lá,
como via as coisas de cá.

O sol já ia alto no céu,
e os pássaros voltavam aos ninhos.
As criaturas da noite, de mansinho
Chegavam para espiar.
Os primeiros sapos coaxavam no brejo.
E o sol já cansado, entrava
lentamente nas águas do rio,
tingindo as águas com suas cores.
Anoitecia.

Dormiu então ao relento,
ouvindo o canto dos pássaros.
A noite que era tão linda,
abraçava cada canto da mata,
E o céu repleto de estrelas
Brilhava em seus olhos sonhadores.

A natureza sorria feliz,
E lentamente ele adormeceu,
Sonhando com o longe, o "lá"
Aquele que preenchia seus anseios.
E viu que lá, como cá
Era a natureza a bailar.

Surpreso então, percebeu
assim que o amanhecer despontou
As aves, as plantas e os animais
Que tão bem conhecia,
Era só o que lhe bastava,
sem mais nada a buscar.

Por horas ali ficou
Com o sol forte a queimar sua pele
E constatou com grande prazer
Que aquilo que tanto ansiava
Ali estava todo o tempo
Era a natureza a lhe brindar.

Não tenho palavras para expressar a vergonha de pensar que hoje, é dia do Índio.
Tudo o que eles queriam, era seu canto, sua terra, a natureza e nada mais.

3 comentários:

dän disse...

vc arrasa como sempre! me adiciona no msn qqer hora hein, precisamos marcar qqer coisa, nao é possivel.. a gente mora na mesma cidade e nao vai marcar nada? nao da ne! hehehehe... danploc@hotmail.com

beijao!

dän disse...

ah! voltei a postar.

Mélica disse...

Como seria o Brasil hoje se ainda fôssemos Ìndios? Corrupcao, violência entre outras coisas talvez não existissem... ;)
Um ótimo fim de semana.
Beijos.